ConexãoIn


Cidades apostam na Muralha Digital para gestão de trânsito e repressão a crimes

Diversas cidades no Brasil estão apostando na implantação da Muralha Digital visando uma atuação integrada da gestão do trânsito, da segurança pública e da fiscalização tributária. Algumas, como Vitória (ES), Curitiba e Londrina (PR), já divulgam resultados expressivos com redução de ocorrências de infrações e crimes.

No Espírito Santo (ES), um expressivo projeto chamado Cerco Inteligente que abrange capital e diversas outras cidades do Estado, começou a ser implementado neste ano, e criará grandes bolsões amplamente monitorados, de modo que um veículo não conseguirá ir de um ponto para outro sem ser acompanhado. Além disso, o projeto ainda foca na segurança e qualidade de vida no trânsito, atuando com caráter preventivo nos locais identificados como de risco potencial, buscando evitar e reduzir a ocorrência de acidentes nas vias do Estado.

“Projetos integrados como esses, que estão se destacando em todo o Brasil, aliados ao uso da Inteligência Artificial, são hoje fundamentais não só para apoiar a gestão de trânsito, mas, também, a segurança das cidades. Isso auxilia gestores públicos, mas, mais que isso, oferecem a nós, cidadãos, maior sensação de segurança e certeza de maior efetividade nas ações das autoridades. Esses sistemas são compostos por câmeras, sensores e softwares, inclusive de infraestrutura de comunicação de dados e servidores, que reúnem uma imensa tecnologia para tornar mais seguras nossas cidades”, explica Régis Nishimoto, diretor da Perkons.

Paraná já apresenta bons resultados com a implantação

Duas das principais cidades paranaenses, Curitiba e Londrina, se destacam com a implantação, implementação e resultados conquistados com a Muralha Digital. Em junho de 2021, Londrina inaugurou a Central de Fiscalização e Monitoramento Eletrônico (CFME), que conta com toda infraestrutura necessária para o monitoramento, recepção de imagens/vídeos, processamento de dados para análise, lavratura de autos de infração de trânsito e emissão de alertas.

“Neste espaço ficam alocados o Centro de Validação de Autos (CVA), o Centro de Talonário Eletrônico (CTE), além do Centro de Controle Operacional (CCO), o que abrange as solicitações dos agentes da autoridade de trânsito, com monitoramento de pontos estratégicos para fiscalização. Ainda, auxilia a mobilidade urbana com o videomonitoramento em tempo real e reduz o tempo de ação em eventos específicos. A Central visa garantir efetividade no trânsito no município, acompanhando em tempo real as ações de segurança nas vias, agindo de forma tempestiva, segura e orientada”, destaca Nishimoto.

Na capital do Estado do Paraná, dados divulgados em agosto de 2022 chamam a atenção. Em um ano e meio de funcionamento do sistema, foi registrada redução de até 40% nas ocorrências de crimes em alguns pontos monitorados pelas câmeras da Muralha Digital, instaladas no Centro, nos bairros, terminais de ônibus, escolas, praças, parques, Ruas da Cidadania e também nos radares de trânsito da cidade. As imagens coletadas pelo sistema de videomonitoramento de Curitiba são acompanhadas pelos guardas municipais do Centro de Operações e Controle 24 horas por dia. Sendo uma das principais funções dessa inteligência integrada o auxílio na repressão de crimes, algumas dessas câmeras possuem recursos de reconhecimento facial que, junto do sistema de contagem de pessoas e de uma biblioteca de faces criptografadas, facilita a busca por suspeitos procurados e foragidos da justiça.

POR: Rita Moraes
Publicado em 28/10/2022