ConexãoIn

Cia. dos Atores apresenta “Julius Caesar – Vidas Paralelas”

 

Após duas temporadas de sucesso no Rio no início deste ano, o  espetáculo “Julius Caesar – Vidas Paralelas” está de volta à cidade para uma curtíssima temporada no Teatro Firjan SESI Centro, com apenas quatro apresentações, de 16 a 19 de novembro. A peça, que celebra os 35anos de trajetória da Cia. dos Atores, está indicada em três categorias (dramaturgia, elenco e melhorespetáculo) ao Prêmio FITA – Festival Internacional de Teatro de Angra, onde foi apresentada no fim de outubro. Além de Angra dos Reis, o espetáculo se apresentou nos festivais Porto Alegre em Cena e Cena Contemporânea, em Brasília.

 

Com dramaturgia e direção de Gustavo Gasparani, a montagem parteda tragédia “Júlio César”, de WilliamShakespeare, para abordar asintrincadas relações de poder queperpassam a trama original, mas aquiinseridas em um novo contexto: osensaios de uma companhia teatral queprepara justamente uma montagem dapeça sobre o famoso imperadorromano. O elenco é formado por Cesar Augusto (um dos fundadores eintegrante da Cia. dos Atores), GabrielManita, Gilberto Gawronski, IsioGhelman, Lucas da Purificação  eSuzana Nascimento.

 

Publicada originalmente em 1599, a peça de natureza histórico-política escrita por Shakespeare recria aconspiração que levou aoassassinato do grande ditadorromano Júlio César, bem como os seus desdobramentos. Passados mais de 400 anos, a contemporaneidade do texto ésurpreendente, com personagensenvolvidos em disputas de poder, intrigas, manipulações e traições. Em “Julius Caesar – Vidas Paralelas”, a dramaturgia propõe uma reflexão pertinente sobrequestões sociais e políticas, entrecruzando a trama original de Shakespeare e as relações encontradas nos bastidores do processo criativo de uma companhiateatral fictícia com mais de trêsdécadas de trajetória.

 

“O que me chamou atenção na peça é que a macropolítica do poder romano não tem diferença algumapara a micropolítica do dia a dia.Nós vemos isso na sala de aula, no condomínio ou numa relação de casal. Esse jogo de poder está presente no nosso cotidiano”, dizGasparani, fundador e integrante daCia. dos Atores, que dirige pela primeira vez um espetáculo dogrupo.

 

O aposto “Vidas Paralelas” faz referência às analogias estabelecidas entre os personagens da obra de Shakespeare e os integrantes da companhia teatral da trama criadapor Gasparani. “A peça propõe umespelhamento entre essas figuras”,diz Gasparani. Além disso, “VidasParalelas” é o nome do livro dofilósofo e historiador grego Plutarcono qual Shakespeare se inspiroupara escrever  “Júlio César”.

 

Em cena, uma companhia teatralestá ensaiando a famosa peça sobre oimperador romano. Todas as questões de um grupo de teatro que convive há décadas, bem comoassuntos mais amplos da classeartística, vão se revelando nodecorrer da

 

trama – cruzando-se com a históriaoriginal de Shakespeare, que vai sedesenhando ao longo dos ensaios. Nas duas situações, vêm à tona dilemas da humanidade. “Estou interessado no que vai dentro do ser humano. O que faz as pessoas agirem de determinada forma? O que faz alguém quebrar um camarim? O que motiva outro a trair o seu melhor amigo em Roma? É inveja? É medo? Quais são asquestões internas de cadapersonagem?”, indaga Gasparani.

 

A trama de Shakespeare é ambientada em Roma, 44 anos antesde Cristo. O povo romano querentronizar Júlio César comoimperador. Antes apoiadores dogoverno, Cássio e Casca convencemBrutus – amigo de César, mas aindamais leal a Roma – a organizaremum complô para assassinar o líder. No Senado, os conspiradores apunhalam César, sendo Brutus o último a golpeá-lo. A famosa cena eternizou uma das mais conhecidas frases da dramaturgia de Shakespeare, quando César,estupefato, pergunta: “Até tu,Brutus?”.

 

A montagem de “Julius Caesar –Vidas Paralelas” celebra reencontroscom parceiros recorrentes nos 35 anos de companhia. Nesta peça, está de volta a diretora de produção Claudia Marques, que esteve presente em diversos projetos dogrupo. Gilberto Gawronski, destavez no elenco, foi o primeiro diretorconvidado da Cia. dos Atores, com o espetáculo “Meu Destino é Pecar”(2002). A atriz Suzana Nascimentoesteve em cena em “Autopeças 2 –Peças de Encaixar” (2011). Já a cenógrafa Beli Araújo é outra parceria de longa data do grupo, tendo participado de “Insetos”(2018) e a “A Morta” (1992).

 

CIA. DOS ATORES

Formada pelos atores Cesar Augusto, Gustavo Gasparani, Marcelo Olinto,Marcelo Valle, Susana Ribeiro e BelGarcia (in memorian), a Cia. dosAtores (@ciadosatores) comemora 35 anos de atividade ininterrupta em 2023, se tornando um dos grupos demaior tempo de trabalho no Rio deJaneiro. Já recebeu os principaisprêmios do teatro brasileiro. Seurepertório inclui mais de uma dezena de espetáculos, entre eles,“Melodrama”, “A Morta”, “O Rei daVela”, “A Bao A Qu (Um Lance de Dados)” e “Conselho de Classe”, primeira parceria com Jô Bilac. Em 2018, estrearam “Insetos”, espetáculo que marcou os 30 anos de criação da companhia. Em 2020, a Cia. dos Atores lançou um novo canaldo grupo no YouTube (youtube.com/ciadosatores).

 

Mantendo sempre o mesmo núcleo de atores, esse grupo carioca, além de ter representado em festivaisnacionais e internacionais, foiresponsável pela direção artística dedois teatros da rede municipal daprefeitura do Rio de Janeiro: TeatroZiembinski e Espaço CulturalMunicipal Sérgio Porto. Localizadana escadaria do Selarón, na Lapa, a sede da Cia. dos Atores (@sedeciadosatores) foi inauguradaem 2006. De lá para cá, a companhia já promoveu ali uma série de atividades: ensaios, treinamentos, mostras de dramaturgia contemporânea, apresentações,oficinas gratuitas e parceriasinstitucionais.

Ficha técnica:

 

Dramaturgia e direção: Gustavo Gasparani

Direção de produção: Claudia Marques – Fábrica de Eventos

Elenco: Cesar Augusto, Gabriel Manita, Gilberto Gawronski, Isio Ghelman, Lucas da Purificação e Suzana Nascimento.

 

Equipe Artística:

Cenografia: Beli Araújo

Figurinos: Marcelo Olinto

Iluminação: Ana Luzia De Simoni

Direção de Vídeo Cenário:Batman Zavareze

Direção musical e trilha sonora composta: Gabriel Manita

 

Equipe Técnica:

Operador de som: Betto Britto

Operador de Luz: João Gioia

Operador de vídeo: Heber Dias

Camareira: Paty Rippol

 

 

“Julius Caesar – Vidas Paralelas”

Local: Teatro Firjan SESI Centro

End: Rua Graça Aranha, 1, Centro – Rio de Janeiro

Temporada: de 16 a 19 de novembro de 2023

Dias e horários: quinta e sexta, às 19h. Sábado e domingo, às 18h

Ingresso R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada)

Vendas pela Sympla: https://bileto.sympla.com.br/event/87989

Classificação: 14 anos

Duração: 120 minutos

POR: Rita Moraes
Publicado em 11/11/2023