ConexãoIn

Brasil lidera uso de agrotóxicos e é o maior importador de veneno

O Brasil é o maior importador de agrotóxicos do planeta e permite o consumo de pelo menos 14 tipos de substâncias que já são proibidas no mundo, por oferecerem comprovados riscos à saúde humana. Só em 2013 foram consumidos um bilhão de litros de veneno pela população, o que representa um mercado ascendente de R$ 8 bilhões. Um terço dos alimentos consumidos no Brasil está contaminado por agrotóxicos.

Na lista de “proibidos no exterior e ainda em uso no Brasil” estão Tricolfon, Cihexatina, Abamectina, Acefato, Carbofuran, Forato, Fosmete, Lactofen, Parationa Metílica e Thiram. Sem contar as substâncias que já foram proibidas por Lei – por estarem ligadas ao desenvolvimento de câncer e outras doenças de fundo neurológico, hepático, respiratório, renal ou genético -, mas que continuam em uso nas fazendas brasileiras por falta de fiscalização. 

“São lixos tóxicos na União Europeia e nos Estados Unidos. O Brasil lamentavelmente os aceita”, disse a toxicologista Márcia Sarpa de Campos Mello, da Unidade técnica de Exposição Ocupacional e Ambiental do Instituto Nacional do Câncer, em entrevista ao portal de notícias IG.

Ela explica que o perigo de contaminação está na ingestão desses alimentos, mas também no ar, na água e na terra, o que torna o problema ainda mais grave. Produtos primários e secundários que fazem parte de nossa cadeia alimentar representam grande risco de contaminação.

Pesquisadores da Universidade Federal do Mato Grosso analisaram 62 amostras de leite materno e encontraram, em 44% delas, vestígios de um agrotóxico já banido, chamado Endosulfan, conhecido por prejudicar os sistemas reprodutivo e endócrino. Além disso, também foram identificados outros venenos, ainda não banidos — é o caso do DDE, versão modificada do potente DDT, presente em 100% dos casos.

Nesta mesma pesquisa, conduzida pelo professor Wanderlei Pignati, concluiu-se que em um espaço de dez anos os casos de câncer por 10 mil habitantes saltaram de 3 para 40. Além disso, os problemas de malformação por mil recém nascidos saltaram de 5 para 20.

Agrotóxicos intoxicam 3 milhões de pessoas todos os anos, segundo a ONU

Segundo o estudo Public Health Impact of Pesticides Used in Agriculture (“O Impacto do Uso de Pesticidas na Saúde Pública”, em português), apresentado pela Organização das Nações Unidas – ONU, três milhões de cidadãos são vítimas de intoxicação aguda por conta de pesticidas utilizados no cultivo de alimentos. Destes, 220 mil acabam morrendo.

Ainda segundo a pesquisa, 70% destas pessoas moram em países classificados como “de terceiro mundo” ou “em desenvolvimento”. Atualmente, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, pois permite de 14 agrotóxicos proibidos no mundo.

Além do risco de intoxicação alimentar, desenvolvimento de câncer e de doenças neurológicas e genéticas para os consumidores finais, que se alimentam com a produção brasileira, há também a questão do ambiente de trabalho insalubre que é proporcionado aos trabalhadores rurais. 

POR: Rita Moraes
Publicado em 15/06/2018