ConexãoIn

Apresentador perde 24 patrocinadores após fala homofóbica e é processado pelo MPF

Durante a edição da sexta-feira, 25 de junho, no programa “Alerta Nacional” produzido pela “Rede TV!” em parceria com a “TV A Crítica”, José Siqueira Barros Júnior, conhecido como Sikêra Júnior, protagonizou  discursos de ódio, ao chamar a comunidade LGBTQIA+ de “raça desgraçada”. 

Após sua fala, anunciantes deixaram de vincular suas marcas no programa, afetando o caixa de ambas as empresas. Até agora, 24 empresas retiraram os anuncios ao programa.

A construtora MRV, cujo seu dono é o empresário Rubens Menin, dono do canal de notícias CNN Brasil, realizava anúncios sobre o empreendimento no “Alerta Nacional”. Em nota publicada nesta segunda-feira (28), a empresa anunciou que não vinculará mais a marca no programa. “A MRV acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia/Nacional já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”, disse a empresa em comunicado. 

A empresa de telecomunicações TIM, encerrou na semana passada o acordo comercial, tanto com a Rede TV!, quanto com a TV A Crítica, deixando de anunciar no programa. “Desde a semana passada, realizamos a suspensão da veiculação, que é automática pela plataforma de anúncio, nesse canal. Reforçamos que a TIM não está ligada a movimentos, nem compactua com disseminação de notícias falsas e discursos de ódio”, disse a empresa.

A empresa de planos médicos HapVida foi outra marca a retirar seu anúncio no programa. “Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. No momento, suspendemos o patrocínio do Alerta Amazonas. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, informou a empresa.

O Magazine Luiza, que nunca anunciou no programa da RedeTV!, informou que bloqueou no YouTube a veiculação automática de anúncios que a rede social colocava nos vídeos do programa Alerta Nacional, publicados no canal da TV A Crítica. “O Magalu é contra qualquer forma de LGBTfobia e nunca admitiremos isso. Não patrocinamos o programa, mas havia anúncios sendo exibidos de forma automática pelo YouTube no canal. Eles já foram bloqueados e não serão mais exibidos”, disse a empresa pelas redes sociais.

Apologia à homofobia

Sikêra Jr. vem em declínio ao usar vocabulário chulos e de intolerância à comunidade LGBTQIA+, em seu programa, criticou a nova campanha da Empresa Burger King, em que crianças de diferentes idades são entrevistados e explicam que é normal verem homens e mulheres do mesmo sexo juntos, entre elas tendo pais gays.

“A criançada está sendo usada. Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem. Nós não vamos deixar”, afirmou Sikêra no programa exibido na última sexta.

A campanha sofreu forte rejeição do público conservador e virou alvo de redes bolsonaristas. Sikêra foi uma das vozes que criticou o comercial.

 “Vocês são nojentos. A gente está calado, engolindo essa raça desgraçada, mas vai chegar um momento que vamos ter que fazer um barulho maior. Deixa a criança crescer, brincar, descobrir por ela mesma. O comercial é podre, nojento. Isso não é conversa para criança”, continuou.

#conexsaoin

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 05/07/2021