ConexãoIn

Agência Estadual de Defesa Agropecuária descarta ocorrência do mal da “vaca louca” na Bahia

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab)  informou, nesta segunda-feira (10), que desde 2008 não há no estado nenhum caso comprovado da Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), popularmente conhecida como mal da “vaca louca”.

De acordo com a Adab, em todos os processos de colheita, exames e resultados laboratoriais realizados não foram detectados sinais da doença. Diante dos resultados obtidos, a Agência descarta a ocorrência da doença do mal da “vaca louca” no estado da Bahia. O órgão fiscaliza regularmente os frigoríficos e, por meio do serviço de vigilância sanitária, promove a remoção e destruição dos materiais que apresentem risco específico para a EEB.

Casos de DCJ na Bahia não têm relação com doença da Vaca Louca

Os casos de Doença de Creutzfeld-Jakob (DCJ) registrados na Bahia não têm relação com o mal da vaca louca, doença que acomete bovinos. De acordo com as características e números apresentados pelas notificações no estado, a Vigilância à Saúde do Estado afastou essa ligação.  

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde – CIEVS Bahia foi comunicado, no dia 06 de outubro, de dois casos confirmados de Doença de Creutzfeld-Jakob. Os dois pacientes são residentes em Salvador e estão internados.  

Em 2022, foram confirmados cinco casos da doença na Bahia, todos em residentes da capital. Destes, dois estão internados, dois foram a óbito e um está sendo investigado pela Vigilância Epidemiológica.  

 

Em 2021, foram confirmados três casos, um de um residente em Salvador, um de Simões Filho e outro em Serrolâdia. Destes casos, dois foram a óbito e o terceiro a situação do paciente está em investigação pela Vigilância Epidemiológica. 

POR: Rita Moraes
Publicado em 11/10/2022