ConexãoIn


Em Cachoeira, governador prestigia solenidade da Assunção de Nossa Senhora

 

Celebrada com devoção e tradição na cidade histórica de Cachoeira, Recôncavo Baiano, a solenidade da Assunção de Nossa Senhora, realizada pela Irmandade da Boa Morte contou com a presença do governador Jerônimo Rodrigues, nesta terça-feira, 15. Comemorada há mais de dois séculos, a festa teve sua importância reconhecida ao ser registrada como Patrimônio Imaterial da Bahia, desde 2010, pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC). Neste ano, teve início no último domingo (13) e se encerra na quinta-feira, 17.

Em uma atmosfera marcada por rituais religiosos e pela cultura local, a celebração teve início na Casa da Irmandade Nossa Senhora da Boa Morte, onde o governador Jerônimo Rodrigues se uniu às Irmãs da Boa Morte e aos fiéis. Com as mulheres vestidas de branco e enfeitadas com colares, pulseiras e joias, além de um pano vermelho nas costas simbolizando a riqueza, a procissão seguiu em direção à Igreja Matriz da cidade, onde aconteceu a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora.

Jerônimo Rodrigues enfatizou que a festa é um dos mais relevantes exemplos da importância dos povos negros em diáspora na cultura brasileira. “A Irmandade traz elementos de reflexão sobre o combate à escravidão em suas novas formas, além da promoção da qualidade de vida para as pessoas negras, com oportunidade de educação e autonomia para que possam ser soberanas. Então, a gente vem celebrar, mas vem também se comprometer com a preservação desse nosso patrimônio cultural e imaterial”.

Criada em 1820, a Irmandade da Boa Morte é uma confraria religiosa afro-católica que, por muito tempo, foi responsável pela alforria de inúmeros negros escravizados. Iniciadas na Igreja da Barroquinha, em Salvador, as atividades religiosas, sociais e culturais da Irmandade da Boa Morte permanecem ativas ainda nos dias atuais. “Estamos sustentando a nossa cultura, porque não podemos perder essa essência, esses ancestrais que nos deixaram. Precisamos conservar, para jamais deixar de ser feita, do jeito que é, em prol deles todos que fizeram parte, com a benção de Maria”.

Além dos momentos de religiosidade, a festa também é marcada por eventos culturais, como apresentações de dança, música e gastronomia típica. Os moradores e visitantes têm a oportunidade de vivenciar a rica herança cultural que permeia cada aspecto da região do Recôncavo.

O secretário da Cultura, Bruno Monteiro, destaca a importância de manter viva a tradição e a fé que permeiam a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora. “É uma celebração que traz a nossa tradição da fé, da resistência dos escravizados. O Governo do Estado salvaguarda toda essa história, reconhecendo que aqui está a raiz da nossa identidade”, declarou Monteiro.

 

Ângela Guimarães, titular da Secretaria da Promoção da Igualdade Racial e dos Povos e Comunidades Tradicionais (Sepromi), reforça a importância dessa luta de resistência histórica das mulheres negras da Irmandade da Boa Morte, a mais antiga organização de mulheres negras da América Latina. “Precisamos garantir que permaneça, se solidifique e tenha a sua continuidade”, declarou Ângela.

 

Também presente no evento, o secretário de Turismo, Maurício Bacelar, destaca o apoio do Governo do Estado para a realização da festa. A Superintendência de Fomento ao Turismo (Sufotur), vinculada à Setur, realizou o investimento de R$ 288 mil para contratação de atrações artísticas. Conforme o titular da pasta, o município de Cachoeira atrai muitos visitantes por causa de sua relevância cultural, religiosa e histórica. “Essa festividade é a expressão do sincretismo religioso, que atrai a atenção de muitos visitantes. Cachoeira também é palco da ebulição das lutas do povo brasileiro pela nossa liberdade há 200 anos”.

Fotos: Feijão Almeida/GOVBA 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 15/08/2023