ConexãoIn


“O chamado do cacique” estreia com diálogo e apresentações indígenas

 

 

A estreia do minidocumentário “O chamado do cacique herança, terra e futuro” reuniu líderes indígenas, representantes do governo, cientistas e a sociedade civil na noite da última terça-feira (23), no teatro da Caixa Cultural, em Brasília.

 

A produção realizada pelo projeto Amazoniar do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), em parceria com o Instituto Raoni, retratou o encontro de lideranças indígenas chamado pelo cacique Raoni, líder do povo Mebêngôkre (Kayapó), que ocorreu na Aldeia Piaraçu, às margens do Rio Xingu, em julho do ano passado.

 

Na mesa de debate, após a exibição, Sônia Guajajara, Ministra dos Povos Indígenas, enfatizou a importância do lançamento: “nós últimos tempos temos vivido vários momentos históricos e esse é mais um momento histórico de demarcação de espaço”.

André Guimarães, diretor executivo do IPAM, pontuou o papel dos povos indígenas para a proteção do meio ambiente, evidenciando a atuação do cacique Raoni. “A mais de 50 anos ele sistematicamente tem passado uma mensagem muito clara e simples: floresta é vida”.

Para Beputik Metuktire, um dos netos e representantes do cacique Raoni no lançamento, a produção é uma inspiração que reflete muito do que as jovens lideranças indígenas pensam sobre a luta originária.

Mayalú Txucarramãe, também neta do cacique e membra do Instituto Raoni, ressaltou o papel do avô na sua inserção na luta originária. ” Quando eu era uma menina, o cacique Raoni segurou na minha mão e disse: ‘vamos para luta’. Se estou aqui hoje, é porque ele me estendeu a mão”.
O encerramento do evento foi marcado por uma apresentação de dança e canto na língua Kayapó, realizada por indígenas Mebêngôkre (Kayapó).
O documentário é uma coprodução da Filmes do Fogo e apoio da Fundação Gordon e Betty Moore, da Bari Filmes e da Caixa Cultural e será exibido no teatro da Caixa Cutural até sexta-feira (26), com entrada gratuita. Confira a programação abaixo:
Programação

24 de abril
19h: Mostra de curta metragem
“Artesanato”
“Memórias nas coisas do Vovô”
“Menire DJAPEJ: O trabalho das mulheres”
“O chamado do cacique herança terra e futuro”
25 de abril
14h: Oficina Audiovisual indígena, ministrada por Matsi Waurá Txucarramãe e Are Yudja. Duração: 60 minutos

19h: Mostra de curta metragem
“Artesanato”
“Memórias nas coisas do Vovô”
“Menire DJAPEJ: O trabalho das mulheres”
“O chamado do cacique herança terra e futuro”
26 de abril
19h: Mostra de curta metragem
“Artesanato”
“Memórias nas coisas do Vovô”
“Menire DJAPEJ: O trabalho das mulheres”
“O chamado do cacique herança terra e futuro”
Sinopses

“O chamado do cacique: herança, terra e futuro”
Direção: Lucas Ramos e Rafael Coelho
Aos 91 anos, o cacique Raoni Metuktire, chefe dos Mebêngôkre (Kayapó) e uma das principais lideranças indígenas do país, segue firme na defesa dos direitos humanos e da Amazônia. Seu chamado reúne povos indígenas na aldeia Piaraçu, às margens do Rio Xingu, e ecoa para o resto do mundo: é preciso honrar os conhecimentos ancestrais e fortalecer o diálogo entre todos – indígenas e não indígenas – pelo futuro do planeta.
“Artesanato”
Direção: Are Yudja
“Artesanato” explora o rico legado dos povos do Alto Xingu através de suas artes. Narrado pelas vozes de quatro artesãos, o filme destaca a transmissão de conhecimento de geração para geração, enfatizando a importância de manter vivas essas práticas para a preservação da identidade, da memória e da cultura indígena. Ao documentar a sabedoria incorporada nos artesanatos dos povos do Xingu, o curta é um testemunho poderoso da resistência cultural e um chamado à valorização das ricas tradições que formam o tecido da diversidade brasileira.
“Memórias nas coisas do vovô”
Direção: Matsi Waura Txucarramãe, Kokokaroti Txukahamãe Metuktire, Kaiani Trumai
“Memórias nas coisas do vovô” é um episódio da websérie “AMERIM COMUNICA” produzida por jovens cineastas Mebêngôkre (Kayapó) e explora as histórias deste povo através das lembranças compartilhadas por um Ancião com sua neta. Ao descobrir uma fotografia antiga, a neta inicia uma conversa íntima que revela a origem das aldeias Mebêngôkre e o encontro marcante de seu avô com o líder Raoni. Este curta-metragem entrelaça a importância da memória e da transmissão de saberes entre gerações, destacando a rica cultura Mebêngôkre e sua identidade.
“Menire djapej: o trabalho das mulheres”
Direção: Kokokaroti Txukahamãe Metuktire, Nhakmo Kayapó, Nhakpryky Metuktire, Bepunu Kayapó
Episódio da websérie “AMERIM COMUNICA” dos jovens cineastas Mebêngôkre (Kayapó), o curta adentra o universo singular das mulheres deste povo, capturando a essência de suas atividades diárias. O filme documenta os momentos de união e intimidade, quando juntas, elas se dedicam às práticas tradicionais de seu cotidiano. Também revela a leveza com que realizam suas tarefas, enquanto ressalta a força e o papel fundamental que desempenham na preservação da cultura e da sustentabilidade de sua comunidade. Este episódio serve como um registro vital para as futuras gerações Mebêngôkre, um lembrete poderoso do valor do trabalho feminino na estrutura social e cultural de seu povo.
Karina Custódio – Jornalista do IPAM

63984527480

 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 18/05/2024