ConexãoIn


Fundação Amazônica de Música apresenta Turnê 2024 em celebração aos 20 anos do Vale Música Belém

 

Para celebrar os 20 anos do projeto Vale Música Belém, a Orquestra Jovem Vale Música (OJVM) coloca o pé na estrada com uma turnê pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte entre os meses de junho e julho de 2024. Na capital carioca, o concerto terá como palco a Sala Cecília Meireles, na Lapa, no dia 3 de julho (quarta-feira), às 19h, com entrada gratuita. A turnê 2024 em celebração aos 20 anos do Vale Música Belém tem patrocínio do Instituto Cultural Vale e do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura.

 

Idealizado pela professora Glória Caputo, o Vale Música Belém apresenta uma turnê especial com os 72 jovens músicos que compõem a OJVM. Eles vão interpretar duas obras emblemáticas do repertório sinfônico orquestral: “Abertura-Fantasia de Romeu e Julieta”, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky, e o “Concerto para Piano Nº 2 em dó menor, Op. 18”, de Sergei Rachmaninoff. Para abrilhantar ainda mais o espetáculo, o convidado da noite é o pianista ucraniano Vitaly Pisarenko, expoente da música clássica que vem ao Rio pela primeira vez, exclusivamente para a ocasião. A regência é do maestro Renan Cardoso.


Vale Música Belém – 20 anos

 

Motivos não faltam para comemorar as duas décadas de realizações do projeto Vale Música Belém. Ao longo deste período, mais de 5 mil crianças e jovens da região metropolitana da capital paraense, estudantes da rede pública, participaram de um completo programa de formação musical, proporcionando inclusão social, qualificação e profissionalização no campo da cultura e arte, numa trajetória repleta de experiências, desafios e muita dedicação. “A música tem o poder de transformar vidas. O projeto Vale Música vai além disso. É uma iniciativa que forma cidadãos”, diz Glória Caputo.

 

A excelência do projeto socioeducativo Vale Música pode ser comprovada no mercado de trabalho musical. Diversos ex-alunos estão inseridos em orquestras profissionais em todo o Brasil, como a Bachiana Filarmônica SESI-SP; as sinfônicas do Paraná, Sergipe e Theatro da Paz, em Belém; e as academias de música da OSESP e da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Também participam de estudos internacionais em universidades em Zurique (Suíça), Karlsruhe (Alemanha) e norte-americanas no Missouri, Califórnia e Novo México; além de bandas militares, grupos de música popular, e atuam como compositores, arranjadores e professores, assim como em outras atividades ligadas à área cultural.

 

Um dos exemplos mais emblemáticos é o maestro Renan Cardoso, que começou no projeto Vale Música Belém na primeira turma, em 2004, quando tinha apenas oito anos de idade. Além de ser regente titular da OJVM há cinco anos, Renan é professor de violino do Instituto Estadual Carlos Gomes, em Belém, e também cursa a Academia de Regência da OSESP, em São Paulo, uma das orquestras de maior prestígio do país. “É muito gratificante ter passado pelo Vale Música e hoje, 20 anos depois, contribuir para a formação desses novos cidadãos em Belém do Pará”, diz o maestro.

 

A Orquestra Jovem Vale Música foi criada em janeiro de 2010, como resultado do projeto social Vale Música Belém, uma parceria da Fundação Amazônica de Música com a Fundação Vale. Além da OJVM, atualmente o projeto Vale Música Belém mantém os seguintes grupos musicais regulares: Coral Vale Música, Conjunto de Flautas Doces, a Banda Sinfônica, Grupo de Percussão, Orquestra de Violinos, Orquestra de Cordas, Orquestra Infanto Juvenil Vale Música e diversos conjuntos de música de câmara formados pelos alunos.

Pianist Vitaly Pisarenko – portraits and headshots by London photographer Andreea Tufescu

“Acompanhar o crescimento e consolidação do Vale Música em Belém ao longo desses 20 anos é motivo de muito orgulho para o Instituto Cultural Vale. São momentos especiais como este que evidenciam a importância desta rede colaborativa de ensino e aprendizagem entre estudantes e músicos de orquestras profissionais que é o Programa Vale Música. Através desta conexão, por meio da música, esses jovens ganham o mundo através de experiências que os guiam em um caminho de novas possibilidades para o futuro”, diz Hugo Barreto, diretor-presidente do Instituto Cultural Vale.

 

Programa

 

O concerto tem início com a “Abertura-Fantasia de Romeu e Julieta”, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky, poema sinfônico baseado na obra de William Shakespeare. Escrita em 1869, quando o compositor russo tinha 29 anos, é uma das melodias de amor mais conhecidas do mundo. “É possível perceber toda a dramaticidade e tragédia desse clássico da literatura mundial na peça de Tchaikovsky”, aponta o maestro Renan Cardoso.

 

Na segunda parte do concerto, o pianista ucraniano Vitaly Pisarenko se reúne à OJVM no palco da Sala Cecília Meireles para interpretar o “Concerto para Piano Nº 2 em dó menor, Op. 18”, de Sergei Rachmaninoff. “Este é um dos mais populares e bonitos concertos do repertório pianístico. É uma composição muito característica, cheia de emoção, diferentes humores e as mais belas melodias”, adianta o pianista. “Foi uma peça muito importante para o próprio Rachmaninoff, pois foi a primeira composição que escreveu após uma longa pausa de três anos devido à depressão. Rachmaninoff dedicou a peça ao seu médico Nicholai Dahl”, explica.

 

Pianista ucraniano radicado em Londres, Pisarenko vem ganhando reconhecimento mundial depois de ganhar alguns dos prêmios internacionais mais importantes:  primeiro Prêmio no 8º Concurso Internacional de Piano Franz Liszt, em Utrecht, e o terceiro Prêmio no Concurso Internacional de Piano Leeds. Aclamado pela crítica como um pianista de impressionantes pianíssimos, técnica prodigiosa e expressividade cativante, Pisarenko já se apresentou em mais de 30 países. Apesar de já ter vindo seis vezes ao Brasil, esta é a primeira no Rio de Janeiro. O jovem músico não esconde a admiração por Nelson Freire e a expectativa de subir ao palco novamente com a OJVM.

 

Sobre o Instituto Cultural Vale

O Instituto Cultural Vale acredita que a cultura transforma vidas. Por isso, patrocina e fomenta projetos em parcerias que promovem conexões entre pessoas, iniciativas e territórios. Seu compromisso é contribuir com uma cultura cada vez mais acessível e plural, ao mesmo tempo em que atua para o fortalecimento da economia criativa.

 

Desde a sua criação, em 2020, o Instituto Cultural Vale já esteve ao lado de mais de 800 projetos em 24 estados e no Distrito Federal, contemplando as cinco regiões do país. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Onde tem Cultura, a Vale está. Visite o site do Instituto Cultural Vale: institutoculturalvale.org

 

Turnê 2024 em celebração aos 20 anos do Vale Música Belém

 

São Paulo – Sala São Paulo

Data: 30 de junho, às 11h

Rio de Janeiro – Sala Cecília Meireles

Data: 3 de julho, às 19h

Belo Horizonte –Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas

Data: 5 de julho, às 20h30

 

Programa

 

Orquestra Jovem Vale Música

Renan Cardoso, regência

Vitaly Pisarenko, piano

 

PYOTR ILYICH TCHAIKOVSKY

Romeu e Julieta — Abertura-fantasia

 

SERGEI RACHMANINOFF

Concerto para piano nº 2 em dó menor, Op. 18

 

 

 

SERVIÇO:

Turnê 2024 em Celebração aos 20 anos do Vale Música Belém

Rio de Janeiro – Sala Cecília Meireles

Dia: 3 de julho de 2024, às 19h

Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro, Rio de Janeiro)

Informações: (21) 2332-9223

Capacidade: 670 lugares

Classificação etária: livre

Duração: 60 min.

Entrada franca (retirada do convite uma hora antes no local)

Facebook e Instagram: @fam.belem

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 19/06/2024